Elevator Pitch: talvez você não saiba o que é, mas você precisa ter um!

O que você faz?” 

Essa pergunta despretenciosa – que nós fazemos e ouvimos em situações diversas, até mesmo no elevador – pode ser o início de uma oportunidade de negócio, parceria profissional ou algo do tipo. Só que, na maioria das vezes, não planejamos muito como responder a esse questionamento, e acabamos em uma explicação ora simplista demais, ora confusa…

Pois bem, a resposta para esse tipo de pergunta tem um nome: Elevator Pitch. Na tradução livre, é um discurso vapt-vupt (cerca de 30 segundos, apenas) que explica o que você faz, para ser usado a qualquer momento, em qualquer lugar, seja num evento corporativo, congresso, reunião entre amigos e até mesmo num encontro casual no elevador. A intenção de ter um Elevator Pitch na ponta da língua é bastante estratégica, assim você não é surpreendido, estando sempre pronto para causar uma boa impressão em um primeiro contato e ainda demonstrar o máximo de valor do que você faz, colocando-se em posição de destaque para, quem sabe, avançar para uma oportunidade profissional. A prática é bastante conhecida no mundo das startups, que precisam vender seu peixe em poucos minutos para possíveis investidores, mas a técnica pode e deve ser utilizada por qualquer profissional ou empreendedor como uma ferramenta de imagem pessoal e mapeamento de oportunidades.

Ok, mas vamos lá: como montar um Elevator Pitch bem estratégico dentro do contexto individual e aproveitar ao máximo as oportunidades de networking? Pega papel e caneta (ou o tablet!) e segue abaixo esse guia de 5 passos para formatar sua apresentação express:

1. Responda às perguntas básicas:

  • O que eu faço?
  • Qual é meu público/target?

2. Elenque os seus diferenciais: a maioria das pessoas é simplista ao falar sobre sua atuação profissional, informando apenas sua profissão, cargo e local de trabalho. Vá além. Pense no que o mercado valoriza, como você atende às necessidades das pessoas. Seja estratégico!

  • O que eu faço de diferente, que poucas pessoas fazem?
  • Quais credenciais me destacam? Tenho alguma certificação ou formação específica? Alguma experiência inusitada? Já fui responsável por algum projeto ou resultado de alto impacto? Estou trabalhando em algo inovador no momento?

3. Defina um objetivo: tenha clareza do que você quer alcançar quando encarar uma oportunidade de colocar seu elevator pitch em prática.

  • Quero prospectar clientes para a minha empresa?
  • Quero vender um produto que desenvolvi?
  • Quero buscar novas oportunidades e/ou parcerias profissionais?
  • Quero ser reconhecido externamente como expert em determinado assunto ou mercado?

4. Resuma tudo o que você escreveu em apenas 100 palavras: lembra o artigo em que comentei sobre os 30 segundos de ouro da comunicação? Pois bem, no Elevator Pitch fica claro que a objetividade é o seu maior trunfo! Não desperdice tempo e vá direto ao ponto, aproveitando o pico de atenção do seu ouvinte. O seu pitch precisa ser curto, consiso, mas ainda sim claro e recheado de informação.

5. Não esgote o assunto! O  Elevator Pitch é uma introdução, não uma conclusão. Encerre seu discurso no auge do interesse e deixe uma porta aberta. Conduza seu discurso de forma que o ouvite tenha perguntas e então forneça a ele uma forma de “sanar” sua curiosidade. Entregue seu cartão, comente sobre o seu site, se coloque à disposição para tomar um café… Enfim, deixe o outro curioso sobre o “resto” da história e, ao mesmo tempo, seja amigável o suficiente para que ele se sinta confortável a buscar respostas com você em um momento mais oportuno. Ah, e não se esqueca de ouvi-lo! Mostre-se interessado também e pergunte o que ele tem feito. A resposta pode, inclusive, ajudar você a mapear necessidades e oportunidades em que você pode fazer a diferença.

Compartilho abaixo um modelo para você entender como transformar todas essas respostas num discurso verbal ou escrito:

“Olá meu nome é (seu nome). Eu atuo (o que você faz) na (nome da empresa), (O que o seu negócio faz) para (o tipo de cliente/segmento) que procuram (qual o problema que esse cliente/segmento tem). Meu foco é (coloque o diferencial que faz você, ou seu negócio ser interessante/diferenciado).”

Você também pode complementar o discurso mencionando algum prêmio ou reconhecimento externo relevante, por exemplo.

Aqui está o meu Elevator Pitch adaptado, que usei na apresentação desse site, por exemplo:

Me chamo Michelle Wendling e hoje trabalho com gestão de Comunicação, Imagem e Influência de pessoas e marcas que buscam exceder seu potencial usando o poder da imagem. Sou Consultora de Imagem e Estilo certificada pela Fashion Institute of Technology de New York, pós-graduada em Comunicação e Marketing pela ESPM-RS e graduada em Jornalismo pela PUC-RS. Nos últimos anos, tenho me aprofundado no estudo dos mecanismos de influência à disposição das pessoas que buscam ter um impacto positivo no ambientem em que atuam, passando pela imagem, estilo, comunicação e comportamento. Por isso criei um blog, em 2018, para compartilhar um pouco do que tenho vivenciado profissionalmente e também minha visão e aprendizados pessoais sobre Imagem e Influência.

Por fim, lembre-se: o Elevator Pitch é um guia para que você saiba se posicionar em qualquer situação, não um discurso decorado. Você vai precisar adaptá-lo ao contexto e audiência, mas sempre tendo a sua estratégia pessoal em mente.

Com a prática, seu discurso vai se tornar cada vez mais natural e você vai perceber a diferença no seu posicionamento de imagem pessoal, tornando-se consciente e confiante do seu propósito e valor. Boa sorte!